A REPÚBLICA EM CONVULSÃO – um anseio pelo retorno ao equilíbrio constitucional

Por Anderson Darlley
(Secretário-geral da JSPDT São Bernardo)

Esses últimos tempos no Brasil têm sido tomados por uma sensação de insegurança e desequilíbrio constitucional, promovidos quase que totalmente pelo presidente da República. A brisa de medo nos mergulha, dia após dia, num abismo configurado pelo aumento do desemprego, da fome, da negação de diretos fundamentais, da elevação da inflação e do aumento de brasileiros empurrados para o caos financeiro, enquanto as pautas do presidente se voltam para assuntos de zero relevância neste momento.

A história dessa República é composta por momentos conflituosos, ácidos, porém, a ação dos poderes sempre foi de combater todo e qualquer rompimento da ordem constitucional, garantindo o Estado Democrático de Direito. Entretanto, atitudes autoritárias e alocuções de incentivo ao caos e a baderna contra os demais poderes, promovidas pelo chefe do Executivo brasileiro, só são vistas em nações governadas por ditadores, que controlam por meio da ameaça e da violência. Jair Bolsonaro tem adotado diariamente essa postura muito específica, característica marcante do seu modo de governar.

Outra característica, não menos importante, é a que avistamos em seus apoiadores, que parecem felizes por serem tratados, literalmente, como gado guiado pelo vaqueiro, que controla e define o trajeto. Esses mesmos apoiadores parecem não ter vontade própria, muito menos horizontes vastos de pensamento, pois sua visão está direcionada exclusivamente para o que o presidente manda, ainda que seja a volta de uma Ditadura Militar, onde nem eles terão a liberdade que pensam. Pedem intervenção militar e vomitam críticas quando militares rebatem suas atitudes. O 7 de setembro de 2021 foi o dia em que o presidente deixou mais clara sua personalidade autoritária e sua incapacidade de conduzir a democracia brasileira.

Bolsonaro incentiva seus seguidores a atos antidemocráticos enquanto o Brasil mergulha em um caos social e econômico

É preciso, mais do que nunca, que os verdadeiros patriotas e amantes da democracia estendam o braço em sinal de defesa dos princípios republicanos que norteiam os horizontes desse país, alcançando assim a paz e a harmonia entre os poderes e buscando novamente o amor e o respeito entre os brasileiros. É urgente a necessidade de os demais poderes, Legislativo e Judiciário, darem uma resposta firme, que deixe clara a inegociabilidade da Democracia. O Supremo Tribunal Federal merece o respeito do povo brasileiro, porque têm realizado aquele que é seu papel constitucional, impedindo que um caos desnecessário desestabilize a ordem no Brasil.

Os apoiadores do presidente, infelizmente, não têm mais capacidade de defenderam a Democracia, porque perderam a noção dela, mas os fiéis brasileiros, que respeitam e a defendem, são hoje os guerreiros que lutam contra o mal daqueles que optam pela baderna. A defendem não com fuzis, mas com o respeito e a verdadeira determinação patriótica.

Anderson Darlley é secretário-Geral da Juventude Socialista do PDT de São Bernardo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.