Inquérito da Polícia Civil aponta desvio de mais de R$ 44 milhões em esquema envolvendo Lahesio Bonfim

O teto de vidro do “bom moço”, Lahesio Bonfim (PSC), aos poucos vai se rachando. De acordo matéria publicada pelo jornalista Gláucio Ericeira em seu blog, o candidato ao governo do Maranhão é acusado de liderar uma organização criminosa que desviou um montante de R$44 milhões da prefeitura de São Pedro dos Crentes. O desvio, que consta em inquérito da Polícia Civil, foi realizado através de fraudes no fornecimento de combustíveis.

Ainda de acordo com matéria do Blog do Gláucio Ericeira, o pedido de afastamento de Lahesio da prefeitura de São Pedro dos Crentes, chegou a ser solicitado pelo Ministério Público do Maranhão (MPMA). O ex-prefeito, porém, se antecipou e renunciou ao cargo de gestor municipal para concorrer ao governo do Estado.

O inquérito da Polícia Civil, realizado pelo Departamento de Combate à Corrupção (Deccor), mostra que mais de R$500 mil reais foram transferidos do Auto Posto BF para a conta bancária pessoal de Lahesio Bonfim e que esse valor é oriundo de fornecimento de combustíveis.

A investigação do Deccor aponta ainda que Lahesio “associou-se criminosamente a outros denunciados e promoveu o Pregão Presencial 26/2018, maculado desde seu nascimento, formalizado apenas para beneficiar as empresas Auto Posto Fortaleza e Andrade e Coutinho, com as quais mantém relação próxima, conforme demonstrado pela quebra de sigilo bancário e pela influência que o denunciado possui na empresa Auto Posto Fortaleza, anteriormente de sua propriedade”.

O inquérito cita que o ex-prefeito de São Pedro dos Crentes, teria se beneficiado financeiramente do posto de gasolina, “reforçando de forma robusta a compreensão sobre a ocorrência de desvio de verba pública e do reconhecimento de propina para retribuir a fraude licitatória operada”.

De acordo com a investigação policial, o esquema criminoso pagava pelo fornecimento de combustível sem a devida comprovação fiscal. Para tentar burlar a fiscalização, o posto de combustível, que estava fechado antes da licitação, informava o fornecimento de combustíveis em galões, que seriam armazenados no terreno da prefeitura, o que nunca aconteceu.

O inquérito policial já foi encaminhado ao MPMA e a denúncia foi oferecida à Justiça. O processo segue em sigilo.

Fonte: Blog do Gláucio Ericeira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.