“Não há, até o presente momento, nenhum sinal da transmissão comunitária da cepa indiana”, afirma Flávio Dino

Em coletiva, nesta sexta-feira (21), no Palácio dos Leões, o governador Flávio Dino atualizou o caso de tripulante indiano, que está internado em hospital particular de São Luís. Está confirmada a cepa indiana – variante da Covid-19 – de tripulantes da embarcação, porém, não há transmissão local. O navio indiano está ancorado na costa maranhense. Como medida, o governador proibiu que o navio atraque em porto maranhense. O navio estava destinado ao porto da empresa Vale.

“Estamos tomando as providências que cabem ao Governo do Estado. Não há, até o presente momento, nenhum sinal da transmissão comunitária da cepa indiana”, afirmou Flávio Dino. O governador ponderou que, tendo em vista o descontrole sanitário que o Brasil vive há um ano e três meses, a cepa indiana pode chegar ao país.

Flávio Dino determinou que o navio não poderá atracar em porto maranhense enquanto estiver nesta situação sanitária; e ao hospital privado onde o paciente indiano se encontra, solicitou testagens. “Jamais poderíamos negar o atendimento médico. Isto é um crime. Obedecemos aos preceitos legais e humanitários. Os profissionais do hospital estão sendo testados e vacinados, e, até o momento, nada indica, no mundo, que esta cepa escape da proteção vacinal”, frisou.

A variante indiana é considerada de preocupação global pela Organização Mundial de Saúde (OMS), por ser de alta transmissão e já está presente em 40 países. As vacinas existentes são eficazes para combate a qualquer variante, segundo afirmação da OMS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.