Pesquisador bernardense apresenta na Bahia, estudo sobre a presença do movimento ‘Balaiada’ em São Bernardo

O professor e pesquisador bernardense, Ronilson de Oliveira Sousa, apresentou neste sábado (5), em Salvador (BA), o resultado de uma pesquisa sobre a presença do movimento ‘Balaiada’, no território bernardense. O estudo é parte da sua dissertação de mestrado em Ensino de História – ProfHistoria, pela Universidade Federal do Pará (UFPA).

A apresentação aconteceu no 1° Congresso Nacional de ProfHistória: a pesquisa em ensino de história e a formação de professores no contexto do ProfHistória, que acontece de 3 a 6 de outubro, no Instituto Anísio Teixeira, na capital baiana.

Ronilson de Oliveira apresentou o trabalho durante o 1° Congresso Nacional de ProfHistória, em Salvador, na Bahia. (Foto: Divulgação)

Revolta que eclodiu na, então Província do Maranhão, entre os anos de 1838 a 1841, a ‘Balaiada’, foi um movimento eminentemente popular contra os grandes proprietários da região.

A pesquisa do professor Ronilson de Oliveira, entitulada “Patrimônio Esquecido: lugares e memórias da ‘Balaiada’ no ensino da História – São Bernardo – MA”, evidencia o reconhecimento dos vestígios desse movimento, em São Bernardo e na região.

“Dessa forma, a pesquisa busca perceber a memória da Balaiada não apenas como elemento do passado, mas, também, no presente, através do reconhecimento do patrimônio cultural no cotidiano da comunidade em uma perspectiva mais ampla entorno da identidade regional e local dos estudantes”, cita o resumo da pesquisa.

Como parte da pesquisa, Ronilson de Oliveira e um grupo de estudantes do Centro de Ensino Deborah Correia Lima, realizaram entrevistas com moradores mais antigos da cidade e região, com o intuito de resgatar a memória do movimento de resistência popular em solo bernardense.

As entrevistas realizadas pelos alunos faz parte do produto didático, parte do mestrado ProfHistória, como explica Ronilson. Ele acrescenta ainda que o produto didático prevê a realização de um documentário sobre a presença da ‘Balaiada’ em São Bernardo.

“Foram os estudantes que realizaram as entrevistas com os moradores de São Bernardo e região e, a partir dessas entrevistas, dessas memórias, desses vestígios em torno da Balaiada e da própria escravidão na região de São Bernardo, nós vamos produzir um documentário acerca dessas memórias”, conta Ronilson de Oliveira.

Os produtos, assim como todo o trabalho, tem como objetivo contribuir para o reconhecimento dessa memória não apenas na sala de aula, mas também em espaços não-formais de aprendizagem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.