ENTREVISTA – Comandante da Guarda Civil de São Bernardo Júnior Porto fala sobre os desafios da segurança pública e privada

Com mais de 10 anos de atuação na área da segurança, o comandante da Guarda Civil Municipal (GCM) de São Bernardo, Júnior Porto, é hoje especialista e referência no município e cidades adjacentes.

Aos 34 anos de idade, o agente carrega a experiência de estar a frente do comando da principal força de segurança de São Bernardo no período da pandemia do coronavírus, quando a GCM foi e é a instituição responsável pelo cumprimento das medidas estabelecidas pela prefeitura municipal para conter o avanço do vírus no município.

Sobre esses e outros temas, o comandante conversou com o Blog Gildean Farias. Confira a entrevista:

Blog Gildean Farias – Hoje você é um especialista em segurança em São Bernardo e região. Como surgiu esse interesse pela área?

Júnior PortoComo a própria Constituição Federal diz: “A segurança pública, é dever do Estado e direito de todos…”. Me interessei pela área movido pelo grande desafio que a segurança pública traz consigo, na árdua missão de promover a paz. Frente a esse desafio, busco sempre soluções para tais problemas, desde a área pública como no setor privado.

Blog Gildean Farias – Conte um pouco sobre sua jornada de atuação profissional na área de segurança pública.

Júnior Porto – Iniciei na segurança pública no ano de 2011, como registrante de boletim de ocorrência na delegacia de São Bernardo. No ano de 2012 fui nomeado escrivão ad-hoc de Polícia civil, local onde aprendi muito e construí amizades sinceras e duradouras. Minha atribuição era lavrar autos de prisão em flagrante, inquéritos policiais e todo procedimento burocrático de competência do escrivão. Também tive passagens como escrivão na cidade de Santana do Maranhão e Magalhães de Almeida.

No ano de 2013 passei no concurso da Guarda Municipal de São Bernardo, onde ingressei no ano de 2014. No ano de 2017, fui nomeado como Comandante da Guarda Civil Municipal de São Bernardo, ocasião em que nosso prefeito João Igor em reunião com o delegado tratavam de assuntos da segurança pública de São Bernardo, e foi escolhido meu nome para o desafio. No ano de 2019, fui nomeado Coordenador da Defesa Civil pelo prefeito João Igor, onde realizamos diversos trabalhos frente a grande enchente do Rio Parnaíba. Permaneço no cargo de comandante da Guarda até a presente data, e agradeço publicamente a oportunidade e confiança em que o prefeito João Igor me deu nesta missão.

Blog Gildean Farias – Como comandante da Guarda Municipal, você está a frente da força tarefa de segurança para garantir o cumprimento de medidas para conter o avanço do coronavírus em São Bernardo. Fale um pouco dessa responsabilidade.

Júnior Porto – De fato é uma grande responsabilidade. Gildean, o meu trabalho foi coordenar as atividades de fiscalização, sendo que sempre estive presente nas ações, que visavam informar, educar e fiscalizar. Essas ações se iniciaram no ano de 2020 e se estendem até está data. É um momento difícil que todos nós estamos vivendo, mais que se faz necessário a tomada de algumas medidas para diminuir o impacto deste vírus.

Júnior Porto está a frente da Guarda Civil Municipal de São Bernardo, desde 2017 (Foto: Arquivo pessoal)

Blog Gildean Farias – Você é consultor em Segurança Pública e Privada. Que tipos de serviços a sua consultoria oferece?

Júnior Porto – Faço consultoria e assessoria na esfera da segurança pública e privada: como criar e regulamentar legalmente instituições de segurança pública municipal, assim como elaborar mecanismos de segurança privada para empresas e pessoas físicas. O meu trabalho mais conhecido pelas pessoas é a assessoria em processos de posse e porte de arma de fogo, pois avalio bem as necessidades do cliente para que o mesmo adquirir uma arma legal e que se enquadre em sua necessidade de segurança.

Blog Gildean Farias – Como você avalia o sistema de segurança pública brasileiro?

Júnior Porto – Muito ainda são os desafios, pois o problema da segurança pública parte da premissa da desigualdade social, falta de emprego e de outras políticas públicas. Mais muito tem se avançado, principalmente com a criação do SUSP – Sistema Único de Segurança Pública. Eu defendo um modelo de segurança pública divido da seguinte forma: Governo Federal, Governo Estadual e Governo Municipal, sendo que atualmente a responsabilidade está pautada somente ao Governo Federal e Estadual.

O município tendo está responsabilidade mais ativa, receberia recursos, de forma que suas instituições poderiam se fortalecer e prestar um melhor serviço. Hoje os municípios, basicamente mantém suas instituições de segurança pública com fundos próprios, o que basicamente só paga folha de funcionários. Aproveito também para enaltecer o trabalho do secretário de Segurança Pública do Estado do Maranhão, o Dr. Jefferson Portela, que tem se destacado pelo preparo e ações desempenhadas na segurança pública do nosso Estado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.