Na semana da Consciência Negra, vereador é vítima de racismo em São Luís

Gildean Farias

A três dias do Dia da Consciência Negra, data que evidencia a luta pelo combate ao racismo e a desigualdade social no Brasil, um vereador de São Luís, cidade que tem quase 80% da população formada por negros e negras, foi vítima de racismo.

De acordo com o co-vereador pelo Coletivo Nós (PT), Eni Ribeiro, por causa da cor da sua pele e do seu cabelo, ele foi impedido pelo segurança de uma unidade escolar, onde teria uma reunião com a gestora, de entrar no local. Eni compartilhou o caso em suas redes sociais e disse que o segurança não acreditou que ele era vereador e não o deixou entrar na escola.

Confira o texto da publicação de Eni Ribeiro, na íntegra:

“Quando falamos que existe uma estrutura racista, estamos falando que nossa sociedade se moldou para negar até a vida política ao povo preto, indígena, favelado, da zona rural e pertencentes a grupos ‘minoritários’ .

Ontem passei por mais um episódio de racismo enquanto cumpria uma agenda oficial como co-vereador legítimo e eleito pelo @sounos.sl. Eu aprendi bem cedo que, independente do lugar que eu ocupe, meu ponto de partida sempre será o mesmo, e serei julgado por isso…

Não vou mudar o meu cabelo, nem me embranquecer, não irei negar a minha origem periférica, para poder entrar em padrões estabelecidos por quem sequer me reconheceu.

Reaja ao racismo ou serás morto!
Reaja ao racismo ou serás morta!”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.