ONG LGBTQI+ bernardense é a primeira organização do segmento devidamente registrada no Baixo Parnaíba

A Associação de Cultura e Cidadania LGBTQI+ (ACCLGBTQI+) de São Bernardo, é a primeira ONG LGBTQI+ do Baixo Parnaíba devidamente registrada. O feito ocorreu nesta quarta-feira (23), quando os diretores da ONG que trabalha a cidadania e inclusão do segmento em São Bernardo, conseguiram oficializar a organização, após mais se três anos de luta.

“Estamos muito felizes por essa conquista. Foram mais de três anos de luta para que pudéssemos ser reconhecidos como organização que luta pelo respeito e a dignidade das pessoas LGBTQi+ em nossa cidade. Com esse registro poderemos ampliar ainda mais as ações que já desenvolvemos”, destacou a presidente da ONG, Kawany Victória Almeida.

Logo da Associação de Cultura e Cidadania LGBTQI+ (ACCLGBTQI+)

Kawany conta que a organização nasceu da necessidade de organização do segmento LGBTQI+ para lutra contra o preconceito enfrentado em São Bernardo. De acordo com a dirigente, a ACCLGBTQI+ é fruto de um projeto desenvolvido no espaço acadêmico e levado para as comunidades bernardenses.

“Em 2015, quando vim morar em São Bernardo, comecei a observar o grande preconceito que havia contra nós LGBT em todos os espaços da cidade. A partir dessas observações, tive a ideia de produzir um projeto dentro da UFMA que tinha como objetivo levar informações sobre o segmento LGBTQI+ através de palestras em espaços públicos ou onde nos convidassem”, relembra.

“Com o apoio de vários professores da Universidade, conseguimos levar as palestras para as comunidades e realizar anualmente um dia inteiro de ações de reafirmação da nossa cidadania, onde temos palestras, caminhada e o concurso ‘Garota T’, onde várias garotas trans desfilam”, completa Kawany Victória.

Com o registro, a ONG espera conseguir ainda mais apoio dos órgãos públicos e privados para continuar desenvolvendo ações e projetos que possibilitem a diminuição do preconceito e a ampliação da cidadania e inclusão das pessoas LGBTQI+ em São Bernardo.

Kawany Victória foi a primeira trans do Baixo Parnaíba a registrar-se com o nome social (Divulgação)

Nome social
Além de fundadora e presidente da Associação de Cultura e Cidadania LGBTQI+, Kawany Victória Almeida é também a primeira pessoa trans da região do Baixo Parnaíba e a segunda do Maranhão a registrar-se com nome social, após a lei estadual Nº 11.201, em vigor desde 2019 no estado.

O nome social é o nome escolhido para identificação pessoal no caso de não inadequação entre o sexo biológico e a identidade sexual, bem como a forma que se reconhecem, são identificadas, reconhecidas e denominadas por sua comunidade e inserção social.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.